Monday, January 05, 2009

Balanço 2008

Em 2008 o CIIPC/CMVRSA dinamizou múltiplos projectos e actividades em torno da investigação, divulgação, usufruto e educação para o património.
Destacamos as escavações arqueológicas no túmulo megalítico de Santa Rita; a 2ª edição do ciclo de percursos pedestres temáticos “Passos Contados”; o Congresso Internacional; Itinerários e Reinos: uma descoberta do mundo. O Gharb al-Andalus na obra do geógrafo al-Idrisi”; o projecto educativo “Velhos Saberes, Novos Fazeres. Actividades Profissionais no Litoral, Barrocal e Serra Algarvia” dinamizado com diversas escolas do concelho; oficinas de verão para crianças e jovens; exposições sobre o Túmulo Megalítico de Santa Rita e as Cerâmicas Islâmicas de Cacela; assim como uma série de novas edições sobre o Património de Cacela e Vila Real de Santo António.

1. Investigação

Escavações arqueológicas no túmulo megalítico de Santa Rita

Entre Julho e Setembro, decorreu a segunda campanha de escavações arqueológicas no túmulo megalítico de Santa Rita. A escavação integral dos níveis arqueológicos permitiu reconhecer o ritual funerário usado pelas comunidades que construíram e utilizaram este túmulo pré-histórico há cerca de 4500 anos. Foi possível identificar uma acumulação sucessiva de ossos humanos correspondentes a deposições secundárias, sobretudo junto ao esteio de cabeceira, facto que indica que este monumento foi utilizado como ossário. Estas deposições no interior da câmara eram acompanhadas por um complexo cerimonial que incluía a colocação de oferendas: recipientes de cerâmica, lâminas de sílex, pontas de seta, alabardas, placas de xisto gravadas, contas de colar, etc.
No final da campanha, organizou-se uma jornada de portas abertas, para apresentação pública do túmulo megalítico à população local e demais interessados.
Apesar da abundante informação proporcionada pela intervenção arqueológica, apenas a prossecução dos trabalhos de análise da documentação arqueológica será capaz de dar resposta às inúmeras questões ainda em aberto.



2. Valorização, divulgação e usufruto

Passeios e visitas

» “Passos Contados”, o ciclo de passeios pedestres, dinamizado pelo CIIPC/CMVRSA, mobilizou este ano muitas dezenas de participantes na interpretação da paisagem, dos seus valores naturais e elementos patrimoniais. A 2ª edição do ciclo iniciou em Abril com o Mestre José Salgueiro com quem ficámos a conhecer as ervas e os seus usos para a medicina popular e alimentação. Com o biólogo Filipe Moniz observámos a flora, identificámos aves e interpretámos pegadas e trilhos de mamíferos na Ria Formosa em torno de Cacela Velha. Descobrimos as fazendas pomares e hortas do Barrocal, com as arquitectas Marta Santos e Marta Almeida, atentos à organização dos conjuntos edificados na relação com a exploração das terras férteis do barrocal. As mesmas arquitectas levaram-nos, um mês mais tarde, numa incursão pela serra, procurando compreender os usos quotidianos dos elementos vegetais. Os recentes trabalhos arqueológicos no túmulo megalítico de Santa Rita justificaram um novo olhar sobre o megalitismo em Cacela, orientado pelos arqueólogos David Calado e Novo Inácio. Terminámos em Outubro, em Vila Real de Santo António, descodificando, com o historiador Hugo Cavaco, os testemunhos da pesca e da indústria conserveira, actividades intimamente ligadas à fundação e história da cidade.
Pela riqueza e diversidade de experiências que proporcionam, pela interrogação e diálogo entre os participantes e os guias especializados, pela descodificação activa do património, pelo contacto próximo com os valores culturais e paisagísticos, os Passos Contados conquistaram os muitos participantes que se juntaram nestes percursos de interpretação.



» Continuaram as visitas acompanhadas a Cacela Velha. Interpretar os testemunhos visíveis do passado, relacioná-los com a história da região, levantar hipóteses a partir de dados recentes da investigação arqueológica, compreender as mudanças recentes na relação do homem com o território e os recursos locais, são alguns dos desafios das visitas acompanhadas que o CIIPC tem dinamizado para grupos, mediante marcação prévia.
As visitas dirigem-se a todos os interessados e são acompanhadas por técnicos do CIIPC em português e inglês.

Congressos

» Decorreu nos dias 2, 3 e 4 de Maio em Vila Real de Santo António e Cacela Velha o Congresso Internacional “Itinerários e Reinos. Uma descoberta do mundo. O Gharb al-Andalus na obra do geógrafo al-Idrisi” co-organizado pela Câmara Municipal de Vila Real de Santo António e Fundação Al-Idrisi Hispano Marroquí. Tratou-se da primeira sessão de um Congresso Itinerante Internacional que teve, posteriormente, continuação temática em Sevilha e Ceuta.
O congresso, que reuniu cerca de 100 participantes de Portugal, Marrocos e Espanha, propôs-se realizar uma análise da obra do grande geógrafo árabe do sec. XII Al-Idrisi, e reflectir sobre a importância do seu trabalho para o desenvolvimento posterior de algumas ciências na época moderna: Geografia, Botânica e Cartografia, esta última fundamental no arranque das viagens europeias dos finais da Idade Média.
Enquanto geógrafo, Al-Idrisi foi também viajante. Nascido em Ceuta em 1100, viajou desde muito novo pelo mediterrâneo, Ásia Menor, países do Oriente e especialmente pelo Al-Andaluz. Percorreu o Algarve, antigo Garb al-Andaluz, de que deixou valiosas descrições de alguns dos seus principais núcleos populacionais, como Cacela. Foi também esse legado ao nível do conhecimento do Algarve durante o período islâmico que se pretendeu aprofundar.
Neste Congresso homenageou-se outra importante figura da cultura hispano-árabe, o poeta Ibn Darraj, nascido em Cacela no séc. X. Descendente da família berbere que controlava então o hisn (fortificação rural) de Cacela, foi um importante poeta da corte e secretário da chancelaria do califado de Córdova que chegou a estar ao serviço do conhecido governador Almansor. Num dos momentos altos do congresso, foi descerrada em Cacela Velha uma placa evocativa em sua homenagem e foram declamados num recital de poesia, alguns dos seus poemas em diversas línguas (árabe, berbere, hebraico, português, castelhano, francês...). Uma homenagem que antecipou um encontro de cultura e poesia mediterrânica em torno do seu legado, que se pretende dinamizar de forma regular em Cacela Velha.







Exposições

» Exposição fotográfica “Túmulo Megalítico de Santa Rita” (Fevereiro a Abril no CIIPC e Outubro no Centro Cultural António Aleixo)


» Exposição “Cerâmicas Islâmicas de Cacela” no CIIPC em Santa Rita (Abril a Outubro). Edição de Jornalinho da exposição e dinamização de vistas guiadas.


» Organização do Workshop de Cozinha Árabe com receitas antigas do al-Andalus no dia 11 Outubro em Cacela Velha (Restaurante/bar "Casa Azul"). A iniciativa integrou-se na exposição "Cerâmicas Islâmicas de Cacela", que esteve patente no CIIPC e pretendeu dar a conhecer os hábitos alimentares e as receitas que se associavam aos recipientes expostos (panelas, caçoilas, bilhas, jarros, tigelas...), todos oriundos de escavações arqueológicas num bairro islâmico da 1ª metade do séc. XIII em Cacela Velha. Os participantes envolveram-se na confecção conjunta das receitas, tendo-se seguido um almoço para degustação das iguarias e visita acompanhada à exposição "Cerâmicas Islâmicas de Cacela" .

» Exposição dos trabalhos do 2º Concurso de Fotografia “Patrimónios de Cacela” com o tema “Saberes-fazeres do mar, barrocal e serra” (Outubro a Dazembro no CIIPC).


Programação cultural em Cacela Velha

» “Cantos e Encantos” na Igreja de Cacela Velha com dois concertos em torno do Romanceiro Tradicional Português. O primeiro concerto "Trovar Romances, Trovas Contar" com os Fol&Harpa e Helena Tapadinhas realizou-se no dia 30 de Maio e o segundo “Romances de Peregrino” com Eduardo Ramos aconteceu no dia 13 de Junho, também pelas 21.30.



» “Palavras sobre a Ria”. Em Cacela Velha, sobre a ria, no Verão, dezenas de pessoas aceitaram o convite para ouvir e partilhar pequenas narrativas, conversar, dizer ou ouvir poesia, com a paisagem como ponto de partida ou pano de fundo. Aí se juntaram, ao final do dia, para ouvir Isabel Cardigos (22 Junho) falar sobre a presença de peixes encantados, sereias e pescadores no conto popular português; Carlos Mota de Oliveira (6 Julho) dizer poesia com a península ao fundo e o voo das aves no horizonte; e Teresa Rita Lopes (3 Agosto) contar as estórias da sua infância em Cacela e dizer poesia. Uma forma diferente de viver lugares especiais como Cacela Velha, habitando-o com palavras.






» Ciclo de cinema “Sob as estrelas em Cacela Velha”. O velho portão de ferro do antigo cemitério de Cacela Velha abriu-se para dar entrada a quem, à noite, sob as estrelas, quis ver cinema, numa colaboração do CIIPC/CMVRSA com o Cineclube de Faro.
Entre Agosto e Setembro, dezenas de pessoas assistiram à projecção de “À flor do mar”de João César Monteiro; “Respiro” de Emanuele Crialese; “As férias do Sr. Hulot” de Jacques Tati e “Elogio ao meio” de Pedro Sena Nunes


Edições

» Durante o dia 18 de Abril, Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, foi apresentado às escolas o jogo pedagógico “Aventura em Cacela Velha”, recém-editado com o co-financiamento do ProAlgarve. Trata-se um pequeno jogo de tabuleiro que propõe aos mais novos uma série de tarefas relacionadas com a história e património de Cacela Velha. O jogo foi apresentado por 2 personagens ligados à história de Cacela Velha, o poeta Ibn Darraj e um arqueólogo, que visitaram as escolas básicas do concelho ao longo do dia para dinamizar o jogo com as crianças.



» Edição do Livro “Cacela, Terra de Levante. Memórias da Paisagem Algarvia” da autoria de Cristina Garcia. Cacela é um caso de estudo que abrange distintos Algarves: a serra, o barrocal e orla costeira. História de um território feita de transumâncias, este livro é uma viagem em que se cruzam os textos antigos, usos e costumes e modelos de organização do espaço. Regista as manifestações físicas do património que representam formas de habitar em diferentes épocas e reflectem os valores da memória e singularidade do Levante Algarvio.

» Edição do livro “Contributos para a construção da história local” da autoria de Hugo Cavaco (nº 3 da colecção Patrimónios).

» Edição de folheto sobre Cacela Velha e envolvente (em português e inglês).


Jornadas Europeias do Património em Cacela

» O município de Vila Real de Santo António voltou a associar-se este ano às Jornadas Europeias do Património, uma iniciativa anual do Conselho da Europa e da União Europeia, com o envolvimento de mais de 50 países, com vista sensibilização dos povos europeus para a importância da salvaguarda do Património.
Neste âmbito, o sítio histórico de Cacela Velha acolheu durante os dias 25, 26 e 27 de Setembro “Estórias vivas de lendas antigas”, um projecto de encenação teatral das lendas compiladas no livro “Mourinhos e mouras encantadas em Cacela” editado pela CMVRSA em 2007.
Durante 3 dias as escolas do concelho, o lar da Manta Rota e o público em geral, voltaram a ouvir e viver muitas destas antigas lendas, estórias de encontros e desencontros com belas mouras e pequenos mourinhos de barrete encarnado que a tradição oral ainda recorda! A iniciativa terminou no Sábado à noite, com dança Sufi e um espectáculo de fogo associado à Lenda das Três Filhas.





3. Educação para o Património

» Foi bem acolhido o desafio lançado às escolas, pelo CIIPC / CMVRSA, durante o ano lectivo 2007/2008, com o Projecto Educativo “Velhos Saberes, Novos Fazeres. Actividades Profissionais no Litoral, Barrocal e Serra Algarvia”: descobrir os testemunhos relacionados com o trabalho das populações, ligados ao mar e ao sapal (pescador, faroleiro, salineiro,...), ao trabalho rural (agricultura, pastorícia, apanha da azeitona, fabrico tradicional da cal), às artes e ofícios (oleiro, latoeiro, ferreiro, carpinteiro, pedreiro, sapateiro, cesteiro,...), e trabalho industrial (conservas, moagem,...).
Centenas de crianças de todo o concelho pesquisaram sobre as antigas profissões e sua ligação ao território local, recebendo antigos profissionais na escola e entrevistando, na sua localidade, pescadores, conserveiros, faroleiros, cesteiros, hortelãos, barbeiros...



» O desafio de descobrir e experimentar as antigas profissões continuou durante o mês de Julho com as Oficinas de Verão para crianças e jovens. “Um dia na Horta” propôs às crianças dois dias na horta do hortelão Sr. Mário Ramos, adubando a terra, semeando alfaces, regando, apanhando cebolas, colhendo tomates, morangos e arranjando nabos e alho francês. No CIIPC, na antiga escola primária de Santa Rita, realizou-se a “Oficina de Artes Tradicionais” para a qual foram convidados três mestres na cestaria em cana e em palma e no empalhamento em tabúa (Sr. Palma, Sr. Barradas e Sr. Edolino) que ensinaram às crianças a sua arte.



» Ainda no durante o Verão, realizaram-se “Oficinas de Arqueologia” no exterior do CIIPC em Santa Rita. Numa caixa arqueológica com estratigrafia e artefactos arqueológicos de diversas épocas, as crianças e jovens transformaram-se em pequenos arqueólogos utilizando as ferramentas e técnicas da profissão. Continuaram a actividade com as fases de registo arqueológico (caderno de campo, desenho, fotografia); e tratamento dos materiais (lavagem, desenho, restauro, fotografia). Em paralelo tiveram ainda oportunidade de experimentar escavar em ambiente real, no túmulo megalítico de Santa Rita onde decorriam escavações arqueológicas.





2 comments:

Comissário said...

Um ano em cheio!
Parabéns, Catarina e equipa toda!
Fernando M.

Arqueologia experimental e experimentação didáctica said...

Muitos Parabéns por toda a actividade desenvolvida. Para quem gosta e trabalha no património é uma alegria ver os bons projectos e dinamismos que decorrem no nosso país. Porque afinal nem tudo é mau, e quando o mau é mais que o bom é justamente este último que deve ser destacado e mencionado como exemplo a seguir.
Sara Cura